Um piloto e uma assistente de borda foram foram acusados de terem tentado raptar e deportar um estudante de aviação chinês na Califórnia, Estados Unidos. 

Jonathan McConkey, diretor-geral da escola de aviação IASCO, e a sua assistente, Kelsi Hoser, ambos com 50 anos, foram acusados pela polícia de Redding de planearem e realizarem o rapto. 

Segundo o comunicado da polícia, McConkey e Hoser avisaram o estudante Tianshu Shi, de 21 anos, na passada quinta-feira que “iam enviá-lo de volta para a China”.

O piloto e a assistente apareceram em casa do estudante na manhã seguinte, onde “McConkey agrediu o jovem e ameçou-o de violência física caso ele não os acompanhasse”.

Com medo das ameaças, Shi acompanhou McConkey e Hoser, mas antes ainda conseguiu ligar ao irmão, que vive em Xangai, China, que foi quem contatou a polícia.

Após a denúncia, os agentes da polícia encontraram o estudante, o piloto e a assistente no aeroporto municipal de Redding, acabando por deter McConkey e Hoser. 

Shi, que foi libertado depois de ter sido interrogado pela polícia, contou ao jornal Record Searchlight como tudo aconteceu.

O estudante adiantou ainda que, quando McConkey e Hoser chegaram a sua casa, decidiu gravar a conversa. Segundo o jovem chinês, o piloto “era muito rude, usava demasiados palavrões".

Vais com ou sem a tua bagagem”, é possível ouvir-se o piloto a dizer na gravação cedida ao Record Searchlight.

A mulher, que fala primeiro em mandarim e depois em inglês, afirma “fala inglês, por favor! Consegues falar inglês? Se não consegues falar inglês não podes ficar cá”, pode ouvir-se na mesma gravação. 

O piloto acrescenta que “o governo dos Estados Unidos precisa que tu saias deste país agora, percebes?”.

Há dois meses que o estudante tinha sido proibido de voar. Shi acredita que tudo se deve ao seu nível de inglês.

 Não consigo falar muito bem inglês no dia a dia, mas consigo falar bem com o controlo de tráfego aéreo”. 

Shi, que escapou apenas com ferimentos ligeiros, afirma que o seu "interior está mal porque nunca tinha tido uma experiência deste tipo”.

O jovem está nos Estados Unidos há sete meses com um visto de estudante que é válido por um ano. 

O piloto e a assistente estão na cadeia do condado de Shasta County sob a fiança de 100.000 doláres (cerca de 85.800 euros).