Um navio americano bombardeado durante a Segunda Guerra Mundial foi encontrado, este sábado, por uma expedição que procurava destroços bélicos no sul do oceano Pacífico.  O navio de guerra, USS Juneau, ficou "famoso" depois de ter sido atingido pelas forças japonesas e ter afundado com mais de 600 pessoas a bordo.

A descoberta foi feita, a mais de quatro mil metros de profundidade, por uma equipa financiada pelo cofundador da Microsoft e filantropo, Paul Allen, que  localizou o navio afundado na costa das Ilhas Salomão, no sábado passado, no dia de São Patrício. 

Certamente não planeámos encontrar o Juneau no dia de São Patício. As variáveis destas buscas são demasiado grandes”, disse Robert Kraft, director das operações subaquáticas da expedição.

O navio foi atingido por torpedos japoneses, em novembro de 1942, e provocou a morte a 687 homens, entre eles, os cinco irmãos que ficaram conhecidos como "os Sullivan", naturais do estado americano de Iowa.

Os jovens ficaram famosos porque desafiaram as regras militares, que impediam membros da mesma família combaterem na mesma unidade, e fizeram questão de lutar juntos na Segunda Guerra Mundial. A "teimosia" dos irmãos acabou por ter um final trágico, uma vez que os cinco irmãos acabaram por perder a vida na batalha. 

Segundas as informações da época, apuradas pela expedição e citadas pelo The Guardian, o USS Juneau só esteve ativo um ano antes do naufrágio. A batalha de novembro de 1942 foi curta e brutal e o navio partiu-se em duas partes e terá ido ao fundo em cerca de 30 segundos.

Da tragédia, resultaram várias centenas de mortes, mas 11 homens sobreviveram ao primeiro embate. Mas o saldo final do ataque acabaria por ser bem pior, uma vez que a demora na operação de busca foi tal que só dez homens foram resgatados com vida.

As expedições organizadas por Paul Allen já localizaram o USS Indianapolis, o USS Ward, o USS Astoriao navio de guerra japonês Musashi e o destroyer italiano Artiglie.