Um homem foi condenado a 18 anos de prisão nos EUA na sexta-feira por extorsão e roubo de identidade após publicação de cerca de 10.000 fotos sexualmente explícitas sem o consentimento dos visados, uma prática conhecida como «vingança porno».

Kevin Christopher Bollaert, de 28 anos, foi delcarado culpado de 27 delitos por um tribunal de S. Diego, no oeste da Califórnia, por ter gerido sites de «vingança porno», através dos quais ganhava milhares de dólares.

O indivíduo criou em dezembro de 2012 uma página de Internet onde publicava fotos explícitas sem o consentimento das pessoas que nela figuravam. 

As fotos eram tiradas com o consentimento das pessoas, mas depois eram publicadas sem o seu acordo, pirateadas ou roubadas.

O site de Bollaert dava as coordenadas e as moradas das pessoas fotografadas, assim como as suas páginas de Facebook. 

O condenado criou outro site, a partir do qual pedia 350 dólares às pessoas que o contactavam para adquirirem as fotos.

Uma das 21 vítimas que testemunhou no processo contou como a sua vida tinha sido virada do avesso, incluindo o facto de a mãe lhe ter deixado de falar.

«Esta condenação mostra claramente que as consequências serão severas para os que beneficiam da exploração das vítimas na Internet», disse a procuradora da Califórnia, Kamala D. Harris.

O governador da Califórnia, Jerry Brown, promulgou, em outubro de 2013, uma lei que proíbe as páginas de Internet de «vingança porno».