Depois da retirada das forças governamentais, aviões da coligação internacional, liderada pelos Estados Unidos, bombardearam a zona, provocando a morte a pelo menos 60 jihadistas.