O FBI foi alertado em setembro sobre uma ameaça de tiroteio feita por um utilizador do Youtube com o mesmo nome do atirador que matou 17 pessoas no liceu de Parkland, na Flórida.

Vou ser um atirador profissional em escolas”.

Esta foi a mensagem escrita por um utilizador do Youtube chamado Nikolas Cruz, em setembro. 

O comentário foi deixado no canal de Ben Bennight, de 36 anos, do Mississípi. Bennight reparou na mensagem que considerou perturbadora e, segundo revelou à CNN, contactou de imediato o FBI.

Primeiro tentou enviar um email, mas o endereço não era válido. Depois, lá conseguiu telefonar para os agentes e o comentário acabou por ser retirado.

Segundo o relato de Bennight, após o telefonema, agentes do FBI entraram em contacto com o youtuber e quiseram falar com ele pessoalmente. Bennight dirigiu-se a um escritório local e disse aos investigadores que não sabia nada sobre o utilizador que escreveu a mensagem.

Este foi o último contacto que o youtuber teve com os agentes do FBI. Até esta semana. Depois do tiroteio no liceu de Parkland Bennight recebeu uma chamada de um agente do FBI para falar novamente sobre o comentário que tinha sido denunciado em setembro.

Quando me disseram que ele tinha o mesmo nome, a primeira coisa que pensei foi: ‘bem, espero que tenham vigiado este homem para o qual eu vos alertei há uns meses”, contou à CNN.

O agente especial do FBI responsável pela divisão do estado de Miami, Robert Lasky, confirmou esta quinta-feira, em conferência de imprensa, que as autoridades receberam uma "dica" no ano passado relativa a um comentário do Youtube.

O FBI analisou bases de dados, verificações, mas não foi capaz de identificar a pessoa que realmente fez aquele comentário”, frisou o responsável.

Segundo um oficial do FBI citado pela CNN, este foi um de dois avisos que os agentes receberam sobre Nikolas Cruz. Nos dois casos, as autoridades não partilharam as informações que tinham com a polícia local.

Entretanto, o depoimento de uma professora do liceu onde ocorreu o tiroteio revelou que os docentes do estabelecimento também já tinham sido alertados para o comportamento de Nikolas Cruz.

A professora de matemática Jim Gard disse ao jornal Miami Herald que os responsáveis da escola enviaram um email aos professores a indicar que Nikolas Cruz não podia andar de mochila.

Foi-nos dito no ano passado que ele não podia levar uma mochila com ele. (...) Houve problemas com ele no ano passado sobre ameaças a alunos e acho que lhe pediram para abandonar o campus." 

O tiroteio de quarta-feira é já o 18º ataque do género nos Estados Unidos desde o início do ano, segundo os dados da Everytown for Gun Safety, uma organização que luta pelo controlo no acesso a armas de fogo.