Duas adolescentes do Afeganistão não foram autorizadas a entrar nos Estados Unidos para participar numa competição de robótica que se realiza de 16 a 18 de julho em Washington. A decisão está a causar indignação, uma vez que as autoridades norte-americanas aprovaram vistos de entrada às equipas do Irão, do Sudão e da Síria - três países que estão na lista negra dos Estados Unidos.

A decisão apanhou de surpresa toda a equipa que criou o projeto afegão para o concurso internacional First Global. A equipa é constituída por seis adolescentes, mas duas delas viram os seus vistos recusados.

O caso está a dar que falar porque o Afeganistão não faz parte da lista de seis países barrados pela administração de Donald Trump, na lei anti-migração. A lista inclui o Sudão, a Somália, o Irão, o Iémen, a Síria e a Líbia, mas até as equipas do Irão, do Sudão e da Síria viram os seus vistos autorizados para a participação no evento. 

"Ainda não sabemos o motivo pelo qual não nos foram concedidos os vistos, uma vez que outros países vão pode estar na competição", disse Fatemah Qaderyan, de 14 anos, uma das raparigas da equipa afegã.

"Todos os países podem participar na competição, mas nós não. É um insulto claro para as pessoas do Afeganistão", acrescentou Lida Azizi, outra das adolescentes que faz parte da equipa.

Questionado pela Reuters, o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA recusou comentar o assunto, afirmando que os regulamentos internos proíbem os responsáveis norte-americanos de falar sobre casos individuais.

Ainda que as duas estudantes não possam estar presentes no evento, o projeto vai mesmo a concurso. De resto, toda a equipa vai assistir à competição através do Skype, na sua terra natal, em Herat.

Ninguém adivinha o futuro, mas fizemos o nosso melhor e esperamos que o nosso robô possa obter uma boa classificação em relação aos robôs de outros países", disse Fatemah.

O presidente da organização do FIRST Global, Joe Sestak, disse através de uma publicação no Facebook do evento, que estava "triste " com a decisão dos Estados Unidos, mas que a equipa afegã podia assistir à competição através do Skype. O responsável acrescentou que as equipas de 156 países, incluindo do Irão e o Sudão, receberam vistos.

A proibição de entrada de cidadãos de sete países nos Estados Unidos foi uma das primeiras medidas tomadas por Donald Trump na sua primeira semana de mandato. A lista original incluía o Iraque, mas o país foi retirado da lista em março.