Foi a própria família de Nina que revelou a identidade da jovem, esta segunda-feira.

As autoridades norte-americanas admitem que uma falha no protocolo possa ter estado na origem do contágio.

Depois do caso da auxiliar de enfermagem espanhola, Teresa Romero, que ficou infetada após ter estado em contato com um missionário que acabou por morrer da doença, o caso de Nina Pham volta a  questionar a eficácia das medidas de isolamento e segurança estabelecidas para o tratamento do vírus.

O ébola já fez mais de quatro mil vítimas mortais.