Depois de ter sido detido por violência doméstica e libertado no dia seguinte, Duane Youd despenhou um avião sobre a própria casa onde estava a mulher e o filho e acabou por morrer, na cidade de Payson, no estado do Utah, nos Estados Unidos. O incidente aconteceu na segunda-feira e ele foi a única vítima.

De acordo com a CNN, o homem, de 47 anos, tinha batido na mulher no dia anterior a despenhar o avião na própria casa, após uma discussão, e foram pessoas que assistiram ao sucedido que deram o alerta às autoridades.

A polícia veio ao local, deteve o homem, mas este foi libertado no dia seguinte, tendo sido acompanhado por um agente a casa para pegar nos seus pertences. Depois disso ficou sem alçada policial e foi nessa altura que pilotou um avião contra a própria casa.

A mulher e o filho estavam em casa no momento em que o avião colidiu com a casa, mas conseguiram escapar às chamas provocadas pelo embate do avião. 

Segundo a polícia de Payson, Duane Youd apontou o avião Cessna Citation 525 para a sua casa por volta das 14:30.

A casa foi totalmente engolida pelas chamas", disse Noemi Sandoval, porta-voz da Polícia de Payson. 

Segundo a CNN, o incidente teve início na noite de domingo no American Fork Canyon porque o casal deslocou-se até lá para falar sobre os problemas que estavam a ter na relação.

Eles estavam a beber quando começaram a discutir e depois ele começou a bater na mulher e algumas testemunhas ligaram para a polícia", explicou a porta-voz. 

Por isto, Duane foi preso por suspeita de violência doméstica. Na manhã de segunda-feira, por volta das 12:30, foi libertado. 

Duane pediu às autoridades norte-americanas para ir a casa buscar alguns dos seus bens pessoais. A polícia cedeu então ao pedido e o norte-americano foi escoltado até casa. 

Ele foi, evidentemente, com a intenção de ir para o avião. Ele é um piloto experiente e voou do aeroporto de Spanish Fork diretamente para a casa", disse Sandoval.

Duane Youd trabalhava na empresa VanCon, empresa de construção que possuía o avião e que ele pilotava.  

A polícia de Payson confirmou que houve incidentes anteriores de violência doméstica em casa, informou a KSTU filiada da CNN.