Duas crianças foram trocadas no aeroporto da República Dominicana e seguiram destinos diferentes para os Estados Unidos. A mãe de um dos menores apanhou ficou em choque quando viu que a criança que lhe estava a ser entregue porque não era o seu filho.

O caso aconteceu nos Estados Unidos com a companhia aérea JetBlue. O filho de Maribel Martinez, de cinco anos, tinha ido à República Dominicana visitar familiares em agosto. No regresso aos Estados Unidos, a mulher esperou Andy em Nova Iorque, no aeroporto internacional John F. Kennedy (JFK), mas a criança que lhe foi entregue não correspondia ao seu filho.

Segundo o que a companhia aérea apurou, Andy tinha seguido viagem num voo da JetBlue com destino a Boston.

Fiquei petrificada”, disse a mulher, citada pela CNN. O advogado de Maribel Martinez revelou que a sua cliente temeu que a criança tivesse sido raptada.

Uma hora e meia depois de ter aterrado em Nova Iorque, a criança foi entregue a Maribel juntamente com os pertences do seu filho, Andy.

Estava a chorar a olhar para o passaporte do meu filho, para a mala onde estavam as suas roupas e sentia-me desesperada. Estava sentada ao lado de um menino que não era o meu”, disse à CNN.

“A 17 de agosto, duas crianças da mesma idade desacompanhadas viajaram separadas a partir de Santiago, na República Dominicana, uma seguiu para o aeroporto JFK de Nova Iorque e outra para Boston. Embarcaram no voo errado, com o destino trocado”, disse Tamara Young, porta-voz da companhia aérea.

A JetBlue reconheceu o erro de imediato e tomou as providências necessárias para assegurar que troca das crianças, para que as famílias corretas se pudessem reunir.

Após longas horas de espera, a mulher conseguiu finalmente falar com o filho ao telemóvel, depois de a criança aterrar em Boston. Ambos ainda tiveram de esperar mais três horas até o pequeno Andy chegar ao encontro da mãe.

O advogado da mulher já informou que tenciona denunciar o caso à Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos para que o caso possa ser investigado. A companhia aérea abriu um processo interno para compreender o que aconteceu de forma a evitar que se repita no futuro.

A JetBlue indemnizou ainda Maribel Martinez com um crédito de 2,100 dólares, cerca de 1.877 euros, para voos futuros, mas a mulher já disse não estar interessada.