Dois vídeos divulgados na comunicação social do Reino Unido mostram como brincam algumas das crianças que vivem em zonas controladas pelo Estado Islâmico. As imagens mostram algumas crianças a brincar às execuções e uma outra a degolar um urso de peluche, imitando vídeos divulgados pelo grupo terrorista, onde inimigos são mortos.

Publicados pelo grupo de rebeldes de Raqqa (RBSS) em 2014, e recuperados pela Sky News como parte da reportagem “Dentro de Raqqa”, os vídeos mostram quatro crianças ajoelhadas a simular uma execução de “inimigos” do Estado Islâmico. As crianças ouvem os “insultos” do adulto e atiram-se para o chão após os falsos disparos, antes de rirem em conjunto.

                       

O vídeo seguinte, divulgado no ano passado, mostra uma outra criança vestida como os jihadistas do Estado Islâmico a cortar a cabeça de um urso de peluche com uma faca, junto a uma bandeira do grupo terrorista.

                        

Sarmad al Jilane, membro do grupo de rebeldes de Raqqa, disse à Sky News que estas são algumas das táticas de lavagem cerebral de crianças por parte do Estado Islâmico, que são, por vezes, usadas em ataques suicidas.

"(...) Além de fazerem uma lavagem cerebral às crianças, enviam-nas para a linha da frente de combate. Quando morrem, [os jihadistas] consideram que protegeram as vidas do Estado Islâmico", disse Sarmad.

Sarmad explicou, ainda, que nas escolas das zonas controladas pelo grupo terrorista é ensinado às crianças uma doutrina extremista, pelo que muitos pais optam por não as deixar sair de casa.