Uma reportagem da Associated Press divulgada no domingo revela o que resta do mausoléu construído para albergar o corpo de Saddam Hussein, o antigo ditador iraquiano, enforcado em 2006.



Em 2007, o corpo foi trasladado para Tikrit, a sua terra natal, uma das maiores cidades iraquianas e que passou os últimos meses nas mãos do Estado Islâmico, com o objetivo de conquistar o poder de criar um califado do Iraque e da Síria.

Ora, uma investida das forças iraquianas em conjunto com os rebeldes xiitas tem ganho terreno aos jihadistas nas últimas semanas, fazendo com que estes recuem e permitindo a entrada dos militares iraquianos em Tikrit.

O corpo de Saddam terá há muito sido retirado do mausoléu e colocado num sítio seguro, de acordo com a BBC e, por isso, foram agora divulgadas as imagens de uma equipa de reportagem que acompanha as forças governamentais.
Mas, a BBC também reporta a dúvida do momento em que o mausoléu terá sido destruído – há informação contraditória que dá conta de que a destruição foi em agosto – e quem é o responsável por essa destruição.
O Estado Islâmico? Os xiitas? As forças iraquianas dizem que os jihadistas armadilharam o túmulo com explosivos em redor, mas os sunitas desconfiam que a fação xiita pode ter responsabilidade no assunto, aproveitando para imputar as culpas ao Estado Islâmico.

Mesmo nas áreas libertas do Estado Islâmico, as comunidades sunitas têm receio do regresso.

Um país a ferro e fogo onde ninguém confia em ninguém.