O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, assinou hoje a lei que amplia a autoridade do Pentágono para treinar e armar os rebeldes sírios na luta contra o Estado Islâmico (EI), depois da aprovação no Congresso nesta semana.

Obama assinou uma lei orçamental que financia as atividades do Governo federal até 11 de dezembro e incluiu uma emenda que concede ao Departamento de Defesa a autoridade necessária para treinar cerca de cinco mil rebeldes sírios e entregar-lhes armas para que combatam o EI na Síria.

O Pentágono assegurou hoje que começará «muito brevemente» o processo de seleção de rebeldes sírios que serão treinados em instalações da Arábia Saudita, mas que levará «entre oito a doze meses» antes que possam regressar ao seu país para lutar contra o EI.