Dois malaios foram acusados hoje em Kuala Lumpur de servir de intermediários para que o grupo autoproclamado Estado Islâmico (EI) adquira propriedades imobiliárias na Malásia.

Os acusados são Rohaimi Abd Rahim, um assessor financeiro de 38 anos, e Mohamad Fauzi Misrak, um cozinheiro de 35, segundo o The Malaysian Insider.

As transações foram levadas a cabo entre dezembro de 2013 e julho de 2014, através da sucursal do banco Maybank Berhad.