Uma das três jovens britânicas que fugiram das suas casas, em Londres, para se juntarem ao Estado Islâmico, poderá ter morrido num ataque aéreo russo em maio, conforme afirmou o advogado da família.

Acredita-se que Kadiza Sultana, de 16 anos, se encontrasse num edifício residencial em Raqqa, nordeste da Síria, que foi bombardeado por um avião de guerra russo.

Nós já estávamos à espera disto, de certa forma. Mas pelo menos agora sabemos que está num lugar melhor”, afirmou a irmã da jovem numa nota enviada ao canal britânico ITV News.

O advogado da família, Tasnime Akunjee, sublinhou que as fontes que dão conta da morte da jovem não são oficiais, mas acredita que Kadiza esteja, de facto, morta há já algumas semanas.

O paradeiro das outras duas amigas, Shamima Begum e Amira Abase, é desconhecido.

A adolescente abandonou em fevereiro o bairro londrino de Bethnal Green, aproveitando as férias escolares para viajar para a Turquia e atravessar a fronteira síria com as duas amigas de 15 anos. Uma vez na Síria, as três acabaram por separar-se.

O caso suscitou muitas críticas entre a opinião pública face à falta de coordenação entre as autoridades e a impotência do governo britânico em evitar a radicalização de adolescentes.