Um grupo ligado ao Estado Islâmico no Egito, o Sinai Province, divulgou uma fotografia com aquilo que parece ser o corpo decapitado de Tomislav Salopek, um cidadão croata. A imagem foi partilhada no Twitter através de uma conta associada ao grupo islamita, segundo o SITE, especialista na monitorização da atividade jihadista. 

A fotografia foi publicada esta quarta-feira com a legenda ”Morte de um refém croata, devido à participação deste país na guerra contra o Estado Islâmico, depois de o prazo ter terminado”.

O primeiro-ministro da Croácia diz que ainda "não pode confirmar a 100%" a morte de Salopek. Em conferência de imprensa, Zoran Milanovic sublinhou que as autoridades continuam a investigar a autenticidade da fotografia. 

O Ministro do Interior do Egito, país onde Salopek foi raptado, já fez saber que as entidades competentes estão a investigar todas as informações que têm surgido sobre o assunto.

Na semana passada, o Sinai Province divulgou um vídeo com um refém de origem croata. Nas imagens, o homem apresentou-se como Tomislav Salopek e afirmou que os rebeldes o iam executar em 48 horas se as mulheres muçulmanas em prisões egípcias não fossem libertadas.

Tomislav Salopek, pai de dois filhos, trabalhava numa empresa francesa ligada à exploração de petróleo e gás, a CCG. Foi raptado a 22 de julho quando viajava para o Cairo. 

Apesar de a sua morte ainda não ter sido confirmada, um responsável da empresa CCG admitiu à AFP que "teme-se o pior".

Estas informações levaram a Presidente da Croácia, Kolinda Grabar-Kitarović, a cancelar todas as atividades que tinha na agenda para esta quarta-feira.