O britânico Mohammed Emwazi, mais conhecido como «Jihad John» que, há menos de duas semanas foi identificado como o elemento do Estado Islâmico alegadamente responsável pelas decapitações de vários cidadãos ocidentais, pediu desculpas à sua família pelos problemas provocados.

Emwazi expressou o seu pesar pelos «problemas e confusões provocadas pela relação da sua identidade», sem, no entanto, mostrar arrependimento pelas mortes de que supostamente foi autor em nome do Estado Islâmico.
O pedido de desculpas foi enviado por um terceiro regressado da Síria e a notícia chegou às páginas do «The Sunday Times» este fim de semana.


Este pedido de desculpas à família está a ser interpretado por alguns como uma manobra para proteger a sua família, originária do Koweit e imigrante no Reino Unido. A mãe de «Jihad John» e mais quatro filhos estão escondidos e sob proteção policial desde que a identidade do britânico foi revelada, acrescenta o «The Sunday Times».

Por outro lado, os muçulmanos que faltem à honra aos pais vão parar ao inferno e, Jazem Emwazi, pai de Jihad John, disse à imprensa que, a haver «provas» de que o seu filho é mesmo o carrasco do Estado Islâmico, então ele é um «terrorista» e um «cão».