Emwazi expressou o seu pesar pelos «problemas e confusões provocadas pela relação da sua identidade», sem, no entanto, mostrar arrependimento pelas mortes de que supostamente foi autor em nome do Estado Islâmico.
O pedido de desculpas foi enviado por um terceiro regressado da Síria e a notícia chegou às páginas do «The Sunday Times» este fim de semana.