Três explosões provocaram dezenas de mortos e mais de uma centena de feridos, alguns em estado grave, no maior aeroporto de Istambul, Turquia, o aeroporto de Ataturk, esta terça-feira.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, condena o ataque desta noite e exige uma resposta clara da comunidade internacional. O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon também condenou os ataques e, em comunicado, referiu que é preciso um maior esforço e compromisso regional e internacional para combater a violência e o terrorismo na Turquia.

O que aconteceu

  • Três homens entraram armados no aeroporto de Ataturk, em Istambul, na Turquia;
  • Bombistas chegaram ao aeroporto de táxi e, sem qualquer aviso prévio, começaram a disparar
  • Momentos depois, o aeroporto foi alvo de três explosões, duas terão acontecido no interior do aeroporto, nomeadamente na zona de check-in e de raio-x, e a terceira no exterior do terminal de embarque;
  • Um dos suicidas fez-se explodir junto ao balcão da companhia aérea russa Aeroflot;
  • Outro dos atacantes ainda foi alvejado pela polícia e largou a arma Kalashnikov AK-47 que transportava;
  • Quando o agente se aproximou para deter o homem, deparou-se com o cinto de explosivos;
  • O terrorista fez-se explodir logo de seguida.

Número de vítimas

  • A última atualização oficial confirma que 36 pessoas morreram, para além dos três bombistas, e 147 ficaram feridas;
  • Confirmação do número de vítimas foi avançada pelo Primeiro-ministro e Ministro da Justiça da Turquia, Bekir Bozdag;
  • A Associated Press escreve que o número de vítimas mortais pode ascender às cinco dezenas;
  • O governo turco já ordenou a criação de um grupo de crise para analisar a situação;
  • Não há registo de vítimas de nacionalidade portuguesa, mas as autoridades turcas dizem que há estrangeiros entre as vítimas;
  • A secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas também já estão em contacto com as entidades consulares na Turquia.

Quem atacou o aeroporto de Istambul?

  • A identidade dos atacantes ainda não é conhecida, mas sabe-se que são homens;
  • O atentado desta terça-feira ainda não foi reivindicado;
  • As autoridades turcas consideram que o método utilizado corresponde ao perfil do Estado Islâmico;
  • O jornal inglês Telegraph recorda que o ataque ao aeroporto de Ataturk acontece dois anos depois do Estado Islâmico ter sido proclamado pelo seu líder Abu Bakr al-Baghadadi;
  • Governo turco diz que sete pessoas estiveram envolvidas no atentado de Istambul e que uma delas terá sido capturada.

Aeroportos em alerta máximo

  • Depois dos atentados, os aviões que deveriam aterrar em Ataturk começaram a ser desviados, mas também houve voos que regressaram ao país de origem;
  • A segurança nos aeroportos de Nova Iorque e New Jersey foi reforçada depois dos ataques suicidas em Istambul.

Os Estados Unidos condenaram os ataques “abomináveis” no aeroporto internacional Ataturk, em Istambul, garantindo apoio à Turquia, segundo um comunicado da Casa Branca.

O aeroporto internacional Ataturk, como o aeroporto de Bruxelas que foi atacado anteriormente, este ano, é um símbolo das conexões internacionais e dos laços que nos unem”, afirmou o porta-voz do executivo americano Josh Earnest.

“Continuamos a ser leais e a manifestar o nosso apoio à Turquia, nosso aliado e parceiro da NATO, bem como aos nossos amigos e aliados em todo o mundo e vamos continuar a enfrentar a mensagem do terrorismo”.