Relatos de que o Estado Islâmico queimou 40 pessoas vivas, perto da cidade de al-Baghdadi, no Iraque, são verdadeiros, adiantou um oficial do Iraque à CNN, esta quarta-feira.
 
O presidente do conselho providencial de Anbar, Sabah Karkhout, garante que recebeu informações do comandante perto da linha da frente do al-Baghdadi, de que os militares do Estado Islâmico queimaram até à morte, pelo menos 40 polícias e homens tribais.
 
Contudo não existe ainda confirmação oficial independente de que os corpos foram queimados ainda com vida ou já depois de mortos. 
 

«Certamente não surpreenderia nenhum de nós que o caso seja verdadeiro, dado o tipo de atrocidades que este grupo continua a fazer contra civis inocentes. Mas olhando agora para isso, não estou em posição de confirmar», afirma o porta voz do Pentágono, John Kirby.

 
O Estado Islâmico não publicou imagens de nenhuma das mortes relatadas como habitualmente faz, mas o porta-voz do Pentágono diz ter ter visto algumas imagens para as quais ainda não existe uma verificação.
 

«Não estou em posição para confirmar a autenticidade do mesmo. Está a ser analisado», disse John Kirby.  

 
Na semana passada, o Estado Islâmico tomou controlo de grande parte da cidade, encontrando-se muito perto do norte da base aérea de Ayn al-Asad, onde perto de 400 militares dos EUA treinam pilotos iraquianos contra o Estado Islâmico.
 
O grupo jihadista enviou fotos para os media locais, esta terça-feira, que mostram o controlo de al-Baghdadi, nomeadamente imagens de prédios do governo e de cadáveres do Iraque.