França vai enviar «nas próximas horas» armas para o Iraque «para apoiar a capacidade operacional das forças que combatem o Estado Islâmico», anunciou a presidência francesa em comunicado.

«A fim de responder às necessidades urgentes expressas pelas autoridades regionais do Curdistão, o chefe de Estado (François Hollande) decidiu, com o acordo de Bagdad, encaminhar armas nas próximas horas», lê-se no comunicado citado pela Lusa.

A presidência francesa evoca a conversa de quinta-feira entre Hollande e o presidente do Curdistão iraquiano, Massud Barzani, e acrescenta que a «França já tomou as disposições necessárias há vários dias para apoiar a capacidade operacional das forças que combatem o Estado Islâmico».

«A situação catastrófica que enfrenta a população da região do Curdistão iraquiano necessita da continuação e ampliação da mobilização da comunidade internacional», afirma.

Com esta decisão, França pretende «ter um papel ativo fornecendo, em coordenação com os seus aliados e com as novas autoridades iraquianas, toda a assistência necessária», acrescenta o texto, referindo as «entregas humanitárias» feitas nos últimos dias e que «vão continuar».

Hollande indica ainda ter encarregado o ministro dos Negócios Estrangeiros, Laurent Fabius, de «seguir pessoalmente esta questão».

Um primeiro carregamento de ajuda humanitária francesa foi entregue no domingo em Erbil, capital do Curdistão iraquiano, e um segundo deverá chegar à cidade hoje, segundo o Ministério dos Negócios Estrangeiros francês.

O segundo carregamento, de 20 toneladas, inclui medicamentos, tendas e material para o tratamento e distribuição de água suficiente para 50.000 pessoas.

O comunicado reitera por outro lado «o apoio ao primeiro-ministro (iraquiano) designado, Haidar al-Abadi», ao presidente e ao presidente do Parlamento, e afirma como «essencial» a «rápida formação de um governo de união, representativo de todas as comunidades iraquianas, para lutar eficazmente contra o Estado Islâmico».