Os Estados Unidos condenaram esta segunda-feira o «brutal assassínio em massa» de cristãos etíopes por parte do autoproclamado estado islâmico (EI) na Líbia, afirmando que a «atrocidade» destaca a urgente necessidade de uma solução política para o conflito líbio.

A porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, Bernadette Meehan, reagia ao vídeo difundido, este domingo, pelo movimento jihadista, o qual mostra a execução de, pelo menos, 28 homens, apresentados como «fiéis» da «Igreja etíope inimiga».

«Os Estados Unidos condenam veementemente o brutal assassínio em massa supostamente de cristãos etíopes por terroristas afiliados do EI na Líbia», afirmou Bernadette Meehan em comunicado.