Donald Trump voltou a protagonizar mais um momento polémico. Depois de ter dito que os muçulmanos não deveriam entrar nos EUA e de ter alegado que algumas partes de Londres e Paris estão tão radicalizadas que os agentes policiais temem pelas suas vidas, o multimilionário afirmou agora que é tempo de “fechar a Internet”, para que as pessoas não se convertam ao Estado Islâmico.

Para evitar que os norte-americanos sejam radicalizados “temos, talvez, de fazer algo com a Internet”, afirmou Donald Trump. E a solução que apresentou foi a de “fechá-la completamente”.

Para tal, o empresário sugeriu que se falasse com “Bill Gates e outras pessoas que percebem o que se está a passar”. Especialmente porque, segundo o candidato à presidência dos EUA, as crianças estão a ver o que se passa na rede e podem querer fazer parte destes grupos extremistas.
 

“Algumas pessoas vão dizer: ‘Oh liberdade de expressão, liberdade de expressão’. Isto são pessoas insensatas”.


De acordo com a imprensa norte-americana, o multimilionário dedicou os minutos seguintes a falar sobre as “pessoas estúpidas” que governam os EUA e da sua “incompetência”.
 

“As pessoas estão fartas. Estão fartas de incompetência, fartas de líderes estúpidos, fartas de pessoas estúpidas.”

 




Os últimos discursos de Donald Trump têm gerado tanta polémica que, segundo o The Telegraph, milhares de pessoas já assinaram uma petição online para “barrar a entrada de Donald Trump no Reino Unido”.

Centenas de pessoas estão a dizer que as últimas afirmações aproximam-se mais da ideologia nazi do que do conservadorismo.