A Austrália impediu o terceiro adolescente de fugir do país para se juntar aos jihadistas no Médio Oriente, informou esta quarta-feira o ministro da Imigração.

O rapaz de 17 anos foi retirado de um avião no aeroporto de Sydney a 12 de março, após ser entrevistado por agentes contraterrorismo, anunciou o ministro da Imigração, Peter Dutton.

O jovem foi entregue à família, mas as investigações prosseguem.

Dois outros adolescentes, de 16 e 17 anos, com bilhetes para países do Médio Oriente não identificados, foram impedidos de sair do país no dia 6 de março.

Estes casos surgem depois de três raparigas britânicas terem deixado as suas casas em Londres para se juntarem ao Estado Islâmico na Síria, em fevereiro, um caso que gerou críticas às autoridades por não avisarem as famílias que os seus filhos correm o risco de ser radicalizados.

Cerca de 200 pessoas já foram impedidas de sair da Austrália para se juntarem a grupos terroristas, segundo as autoridades.