A Austrália vai dar acolhimento permanente a mais 12.000 refugiados, em resposta à crise na Síria, anunciou esta quarta-feira o primeiro-ministro Tony Abbott.

“A Austrália vai acolher 12.000 refugiados adicionais do conflito na Síria e Iraque”, afirmou Abbott, em Camberra.


Este número vem aumentar as 13.750 vagas já existentes para este ano.

Abbott explicou que será dada prioridade a mulheres, crianças e famílias de minorias perseguidas que tenham procurado refúgio temporário na Jordânia, Líbano e Turquia.

O país anunciou ainda que vai alargar os seus ataques aéreos contra militantes do grupo Estado Islâmico do Iraque para a Síria, após um pedido dos Estados Unidos.

Tony Abbott defendeu que o Estado Islâmico tem de ser derrotado não apenas no Iraque, onde seis aviões de combate RAAF/A18 australianos e duas aeronaves de apoio já estão ativos, mas também na vizinha Síria.

“Destruir este culto da morte é essencial, não apenas para acabar com a crise humanitária no Médio Oriente, mas também para travar a ameaça à Austrália e ao resto do mundo.”