Pela primeira vez em 10 anos, a Austrália colocou o nível de alerta terrorista em «alto», considerando «provável» a ocorrência de um atentado terrorista.

«Há pessoas com a intenção e a capacidade de planear ataques na Austrália», disse o primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, em conferência de imprensa.

O governo australiano teme um atentado como retaliação pela participação em missões de abastecimento às forças que lutam contra os jihadistas no norte do Iraque e na Síria.

A Austrália também receia o regresso de extremistas nascidos no país que combatem agora nas fileiras do Estado Islâmico.

O último balanço dava conta de mais de 160 australianos a combater com os jihadistas, sendo que pelo menos 20 já conseguiram regressar à Austrália.