Cerca de 150 pessoas morreram afogadas ou atingidas a tiro quando fugiam de um ataque do grupo radical islâmico Boko Haram a uma aldeia no estado de Yobe, no nordeste da Nigéria, declararam esta terça-feira habitantes.

“Homens armados do Boko Haram atacaram a nossa aldeia na quinta-feira o que levou à morte de cerca de 150 pessoas. A maioria das vítimas morreu afogada no rio quando tentava fugir”, disse à agência France Presse um habitante da aldeia de Kukuwa-Gari, Bukar Tijjani.


Informações sobre o ataque só foram conhecidas cinco dias depois porque os postes de telecomunicações à volta da aldeia de Kukuwa-Gari, a 50 quilómetros da capital do estado de Yobe, Damaturu, há muito que foram destruídos pelos rebeldes.

Segundo a AFP, dezenas de membros do Boko Haram chegaram à aldeia em motas e carros e abriram fogo sobre os residentes .

“Abriram fogo instantaneamente, o que forçou os residentes a fugir. Mataram algumas pessoas. Infelizmente, muitos residentes que tentaram fugir atiraram-se ao rio (…). Muitos afogaram-se. Pelas nossas contas temos 150 pessoas que [foram abatidas] ou morreram afogadas”, disse Modu Balumi, habitante da aldeia, à AFP.


“Os atacantes mataram [até] um pescador que tentou salvar pessoas que se estavam a afogar”.

Ainda segundo a agência, muitos dos mortos eram mulheres e crianças.

O governo local confirmou o ataque, mas estimou o número de mortos em apenas 50.