A auxiliar de enfermagem espanhola Teresa Romero está curada do vírus do ébola, confirmou o hospital de Madrid esta terça-feira.


Segundo o chefe da unidade de doenças infecciosas do Hospital Carlos III, os quatro testes realizados a Teresa Romero deram negativo. «Estão cumpridos os critérios de cura», disse José Ramón Arribas.

A auxiliar de enfermagem deverá ficar no hospital mais duas ou três semanas, segundo a porta-voz da família. A mesma fonte indicou que o marido de Teresa deverá voltar a casa já na próxima semana.

No Hospital Carlos III, permanecem 15 pessoas em observação por terem estado em contacto com Teresa Romero. 

A auxiliar de enfermaria acusou positivo em dois testes do vírus do Ébola no dia 6 de outubro depois de ter prestado cuidados ao paciente com ébola transferido da Serra Leoa. A auxiliar de enfermagem soube que tinha a doença pela Internet , ao consultar o seu telefone e ver as notícias online. 

Teresa Romero está internada no Hospital Carlos II de Madrid, onde tem sido tratada. A paciente estava numa outra unidade de saúde da capital espanhola, no Hospital de Alcorcón, e deslocou-se sob escolta de uma dezena de carros da polícia nacional, da guardia civil e por agentes em motociclos.

O estado de saúde de Romero agravou-se ao terceiro dia de internamento, com a doente a ser entubada por problemas pulmonares. No entanto, no dia seguinte, Teresa Romero mostrou melhorias e no dia 10 de outubro já estava consciente e conseguia sentar-se.

Quando os médicos pensavam que a paciente tinha começado a melhorar, a auxiliar de enfermagem voltou a ter uma recaída e fontes hospitalares tiveram de confessar que a doença tem um comportamento muito irregular no corpo humano, podendo levar a um agravamento do estado de saúde «muito rapidamente».