Há uma nova moda entre os jovens espanhóis que está a preocupar os médicos: a roleta sexual. O jogo consiste na prática de orgias sem uso de métodos de proteção contra doenças sexualmente transmissíveis.

Entre os que participam na roleta sexual - normalmente do sexo masculino -, deverá estar, pelo menos, um portador do Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), que não pode ser previamente identificado pelos restantes, como explica o El Periódico.

Durante a orgia, os jovens vão trocando de parceiros e não há qualquer forma de saber se tiveram relações com o indivíduo infetado com SIDA. Por isso, os médicos consideram que os jovens estão a perder o respeito a uma doença incurável.

O que levará os jovens a participar nestas festas?

Os especialistas em terapia sexual afirmam que é a emoção do desconhecido que estimula as pessoas a participar nas roletas sexuais, relata o jornal britânico The Sun.

No caso das festas de sexo, o estímulo é combinar o orgasmo com a adrenalina. No entanto, este estímulo é de curto prazo e as consequências a longo prazo são perigosas. Não só existe o risco de contrair o HIV, como outras doenças sexualmente transmissíveis", disse a psicoterapeuta sexual, Kate Morley, ao site HelloU.

As roletas sexuais não são, contudo, novidade na Europa. Em 2014, o jornal espanhol La Vanguardia relatou a elevada quantidade de jovens que participava em orgias de “alto risco”, desprotegidas, importadas da Colômbia.