A Polícia Nacional espanhola tem registo da existência de mais de 200 grupos extremistas, entre organizações radicais de direita, esquerda e anarquistas, que são acompanhados de forma regular pelas forças de segurança.

Jorge Fernández Díaz, ministro do Interior, afirmou no Congresso de Deputados que, em concreto, são vigiadas 118 organizações anarquistas e antissistema, 46 da extrema-direita e 42 da extrema-esquerda.

Intervindo na comissão de Interior do parlamento, Fernández Díaz disse que só desde o início do ano já foram detidos 74 elementos de grupos de extrema-direita, incluindo os 11 detidos depois do ataque durante um evento do Governo da Catalunha em Madrid, na semana passada.