O professor de ciências políticas da Universidade de Madrid e número três do partido espanhol «Podemos», Juan Carlos Monedero, poderá ter exagerado o seu currículo profissional em dois cargos em duas universidades e no seu envolvimento num do BCE, avança o «El País».

Segundo este jornal espanhol, Monedero escreveu no seu currículo que foi «professor convidado no Instituto de Estudo Políticos da Universidade Humboldt de Berlim, dirigido pelo professor Claus Offe», e na Universidade Iberoamericana de Puebla, no México, mas, no entanto, nenhuma das entidades confirmou a veracidade destas afirmações.

No primeiro caso, o jornal espanhol contactou o professor Claus Offe, já reformado, que diz não se lembrar do político, nem tão pouco tê-lo conhecido. Offe acrescenta, também, que nunca foi diretor daquele departamento.

«Não conheço o senhor Monedero e também não me lembro de o encontrar. Mas a minha memória não é a melhor. (…) O que quero dizer é que posso tê-lo convidado, mas quero quase descartar que tenha ido ao Instituto para mais do que uma conferência».


Offe trabalhou no Instituto de Ciências Sociais daquela Universidade, mas garante: «Nunca o dirigi».

«É possível que tenha convidado o senhor Monedero para alguma conferência, já que parece que temos interesses académicos similares. Mas não posso confirmar esse convite após tantos anos. Nem confirmo, nem desminto. Não me lembro», assinalou.

Também a Universidade deixou a mesma ressalva. Não existem registos do nome de Monedero no sistema, nem que alguma vez tenha dado aulas como professor convidado, mas poderia ter discursado em alguma conferência.

No seu blog pessoal, Monedero, tem, de facto, uma foto com o professor Offe, mas, tirada durante a entrega do prémio «Príncipe das Astúrias 2003».

Quanto ao segundo caso, o «El País» também contactou o departamento de pagamentos e serviços da Universidade de Puelba, e confirmou que também não existem quaisquer registos da sua passagem por ali.

«Infelizmente não encontramos dados de Juan Carlos Monedero, não existe registo dele como professor convidado, nem a tempo inteiro».


À semelhança da universidade de Berlim também esta deixa, no entanto, a «porta aberta» para a possibilidade de Monedero ter participado num género de aulas provisórias, chamadas «projetos», que podem ser de apenas uma semana, até um máximo de seis meses. No entanto, segundo a mesma fonte, existiriam alguns dados na Área de Ciências Sociais e Humanas, o que não se verifica.

Esta não é a primeira vez que Monedero se vê envolvido numa situação destas. O professor diz ter sido «responsável pela equipa do Banco Central Europeu que desenvolveu um estudo dos efeitos da implementação do euro em Espanha» (entre 1998 e 2003). Na verdade, Monedero participou num estudo de 80 páginas chamado «Relatório sobre a implementação do euro em Espanha», que foi financiado pelo BCE e outras instituições.

Juan Carlos Monedero já reagiu a esta polémica, tendo partilhado na sua conta de Twitter uma foto de um livro lançado pela universidade mexicana que contém o seu nome, bem como uma fotografia com o professor Claus Offe.