O governo espanhol decidiu esta sexta-feira reforçar o controlo das despesas da Catalunha para evitar a utilização de verbas na realização de um referendo separatista. A medida surge depois do executivo regional ter deixado de informar Madrid sobre as suas contas.

Criámos este novo mecanismo de controlo das despesas”, anunciou o ministro do Orçamento, Cristobal Montoro, no final do Conselho de Ministros do governo espanhol.

Segundo Montoro, o Estado irá substituir a Generalitat (executivo regional) nos pagamentos, para garantir os serviços públicos e para assegurar que não se gaste “nem um euro” no financiamento de “uma atividade ilegal” como o referendo de autodeterminação de 1 de outubro.

Recorde-se que o governo da Catalunha (Generalitat) assinou um decreto que convoca para 1 de outubro a realização de um referendo independentista nesta comunidade autónoma espanhola. Uma decisão que o executivo nacional de Mariano Rajoy considera inconstitucional.

De resto, o Tribunal Constitucional espanhol já suspendeu a lei aprovada pelo parlamento catalão e o Ministério Público da Catalunha deu instruções a todos os corpos de polícia da região para impedirem o referendo.