Atentados terroristas em Madrid, Espanha, aconteceram há cinco anos. Em 2007, foi inaugurado um monumento de homenagem às vítimas, em frente à estação de Atocha.

O monumento é considerado «um grito de esperança», apesar de ser com o silêncio da sala subterrânea que o verdadeiro impacto do monumento se evidencia, assinalando o «silêncio» do choque que se seguiu às explosões de há cinco anos.

É na sala subterrânea, ao olhar para o céu, que se vê o trabalho de dezenas de operários de várias nacionalidades que talharam as mensagens, também em várias línguas (em espanhol, árabe, romeno e inglês, entre outras), deixadas em homenagem às vítimas, em Atocha.

191 mortos

O monumento pesa mais de 140 toneladas, tem uma cúpula de 11 metros e um diâmetro de 8,5 metros e, na sua construção, foram usadas 15 mil peças de vidro de 15 centímetros de espessura e de mais de oito quilos de peso cada. No exterior, uma placa também de vidro, reproduz os nomes de cada uma das vítimas, 140 espanhóis e 51 estrangeiros.

Recorde-se que há cinco anos, no maior acto terrorista da história espanhola, dez bombas explodiram em quatro comboios da linha suburbana que liga Alcalé de Henares a Atocha, causando 191 mortos e quase dois mil feridos.

Depois de longas investigações, a Audiência Nacional de Madrid condenou em Outubro de 2007 21 dos 28 acusados de envolvimento nos atentados a penas de entre três e quase 43 mil anos de cadeia.