Em Espanha já foram libertados oito dos dez etarras condenados em bloco pela Audiência Nacional, o Supremo Tribunal espanhol.

Domingo Troitiño e Isidro Garalde, aliás «Mamarru», dois dos detidos abandonaram já a prisão de Teixeiro, na Corunha, onde se encontravam. Foram colocados em liberdade pelo ramo criminal do supremo, na sequência da sentença do Tribunal Europeu dos Direitos Humanos que anulou a aplicação da chamada «Doutrina Parot», uma regra que permitia estender a permanência na cadeia.

Outros dois membros da ETA ficaram detidos. O primeiro por ter pendente um recurso para o Tribunal Constitucional. O segundo por não estar clara a data exata em que deveria ser posto em liberdade.

o supremo vai pronunciar-se na segunda-feira sobre a aplicação da jurisprudência do tribunal de Estrasburgo.