Em Madrid, os trabalhadores da recolha do lixo estão em greve por tempo indeterminado. E os efeitos da paralisação já são bem visíveis nas ruas da capital espanhola.

Sacos plásticos, garrafas e lixo orgânico começam a acumular-se junto aos caixotes e nos passeios. A paralisação dura apenas há dois dias.

Os trabalhadores dos serviços de manutenção estão contra a contratação de empresas privadas pelo município de Madrid, empresas que os sindicatos acusam de querer cortar os salários em 40% e abrir portas ao despedimento de mais de 1100 pessoas.

Com cortes profundos no setor público Espanha tenta reduzir o défice. Mas vê-se a braços com uma taxa de desemprego recorde que ultrapassa os 26%.