Os incêndios florestais não são só um problema para Portugal. Outros países, em que as temperaturas elevadas e os ventos fortes se fazem sentir, também são alvo de fogos. Grande parte deles têm algo em comum: mão criminosa - e este vídeo é a prova de que não é, necessariamente, apenas uma. 

Não é preciso ir muito longe. Aqui ao lado, em Espanha, um homem gravou o momento em que um grupo organizado ateou fogo a uma floresta em Arbo, na Galiza. Entende-se que é um grupo organizado devido à forma como os focos, do mesmo incêndio, vão surgindo. 

Esta é a prova de que um incêndio não tem apenas uma mão criminosa, pode ter várias. Neste caso, percebe-se que existe mais do que uma pessoa, uma vez que, em poucos minutos aparecem cinco pequenas fogueiras, em linha reta e à mesma distância ao longo da lateral de uma montanha.

De acordo com o jornal espanhol El País, o alerta para este incêndio em Arbo foi dado cerca das 20:45, hora em que se verificavam as condições ideais para que as chamas se propagassem.

Por diversas vezes, no vídeo, o homem que gravou as imagens diz que "é impossível" ser obra do vento. A ser, as fagulhas poder-se-iam espalhar e atear fogo nas proximidades do foco inicial. No entanto, ainda havia pouco fumo - que pudesse fazer voar as fagulhas - quando começaram a surgir os restantes quatro focos de incêndio pela lateral da montanha. 

"Onda terrorista" organizada

Em Portugal, o presidente da Liga dos Bombeiros classifica de “onda terrorista devidamente organizada” a situação que se passa relativamente aos incêndios florestais. Ao mesmo tempo, julga que devia ter sido antecipado o pedido de ajuda de meios aéreos.

Jaime Marta Soares diz que é impossível haver ignições de fogo com uma frente tão vasta como as que se têm verificado nestes últimos fogos na zona norte e centro do continente e na Madeira. E faz notar que 98% dos fogos florestais têm mão humana e que, desses, 75% serão de origem criminosa.