A auxiliar espanhola infetada com o vírus do ébola pode ter contagiado mais uma pessoa, avança o El Pais, que cita Fernando Simón, porta-voz da comissão de gestão da crise do ébola criado pelo governo. Uma das sete pessoas que viajou na ambulância que transportou Teresa Romero foi isolada no hospital Carlos III depois de ter ficado com febre.

De acordo com Simón, trata-se de um dos contatos que menos probabilidades de infeção tinha. Ao perceber que tinha febre, o paciente - cuja identidade é desconhecida - contatou o hospital e aguardou que o transporte necessário estivesse disponível e chegou ao hospital ao início da tarde. O hospital aguarda agora os resultados da primeira análise para confirmar se a pessoa está ou não infetada.

Esta quinta-feira, o hospital recebeu ainda mais duas pessoas: o passageiro do voo proveniente de Paris e um missionário proveniente da Libéria.

Antes de chegar a Espanha, o homem com sintomas suspeitos da doença fez escala no aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, depois de ter ingressado num voo com origem na Nigéria.

As autoridades sanitárias confirmaram ao «El País» a ocorrência, mas desconhecem-se mais dados sobre o estado de saúde do passageiro. Esta situação levou a que fosse
ativado o protocolo de segurança e prevenção para o vírus do ébola no aeroporto de Barajas, em Madrid.

Sobre o missionário, sabe-se apenas que este chegou a Madrid esta terça-feira, proveniente da Libéria, onde esteve em contato com doentes do ébola. Inicialmente foi internado no Hospital da Ordem de São João de Deus, na capital espanhola, mas depois de apresentar febre superior a 37,6º foi transferido para o Carlos III.