A auxiliar de enfermagem espanhola infetada com o vírus do Ébola em Madrid continua a evoluir favoravelmente e os restantes 15 hospitalizados sobre observação permanecem assintomáticos.

O Comité Especial criado pelo Governo espanhol para acompanhar a crise do Ébola confirma a situação no comunicado emitido hoje, sem revelar detalhes mais precisos sobre o estado de saúde de Teresa Romero.

«O estado de saúde da paciente hospitalizada no Hospital Carlos III evoluciona favoravelmente», refere o curto comunicado.

Por saber continua, para já, se os resultados das novas análises previstas para este fim de semana confirmam que Teresa Romero já está livre do vírus.

Caso isso ocorra, este surto em Espanha teria terminado quando tivessem passado 21 dias sem que todos os envolvidos no tratamento de Teresa Romero tivessem manifestado qualquer sintoma.

Além de Teresa Romero e dos restantes 15 hospitalizados, o Comité explica que estão ainda à espera da segunda prova (depois de uma primeira negativa) três outras pessoas sob investigação.

Trata-se de um viajante procedente da Nigéria, um cooperante das Canárias e um homem que usou a mesma ambulância que transportou Teresa Romero.

Segundo o último balanço da Organização Mundial de Saúde (OMS), o Ébola causou mais de 4.500 mortos em cerca de 9 mil casos registados na Libéria, Serra Leoa e Guiné-Conacri, os mais afetados, mas também na Nigéria, Senegal, Espanha e Estados Unidos.