Sete pessoas foram detidas em Espanha e Marrocos numa operação conjunta dos dois países, no âmbito de uma operação de combate a um grupo organizado que recruta mulheres para o Estado Islâmico.

O «El País» noticia que as operações foram levadas a cabo às primeiras horas desta terça-feira, em simultâneo, em Ceuta, Melilla, Barcelona e Castillejos, resultando na detenção de seis adultos e um menor.

Entre os detidos estão duas mulheres que se iam juntar ao Estado Islâmico. Em Melilla foram detidos duas mulheres e um homem, suspeitos de serem os angariadores de mulheres para o Estado Islâmico.

A maioria das mulheres que são recrutadas pelos jihadistas como noivas, vão para cozinhar e tomar conta dos filhos.
Os enclaves espanhóis de Melilla e Ceuta, no norte de África, são monitorizados com atenção pelas autoridades, já que constituem uma porta de entrada privilegiada na Europa, fazendo a ligação entre os dois continentes por terra.

Estima-se que uma centena de espanhóis tenha abandonado o país para se juntar às fileiras dos jihadistas no Iraque e na Síria, um número que cresce exponencialmente am Marrocos, onde cerca de dois mil se juntaram ao Estado Islâmico, de acordo com a BBC.

As operações policiais desta manhã não foram as primeiras do género. Em agosto, duas jovens, de 14 e 19 anos foram intercetadas pelas autoridades espanholas em Melilla, quando se preparavam para se juntar aos jihadistas.