Uma operação conjunta das autoridades espanholas e marroquinas terminou com a detenção de 14 pessoas, suspeitas de recrutarem combatentes para o Estado Islâmico, avança a agência Efe.

A intervenção foi levada a cabo em San Martín de la Vega, na região de Madrid, e várias cidades marroquinas. A rede recrutava combatentes e enviava-os para a linha da frente do Estado Islâmico, na fronteira da Síria com o Iraque.

De acordo com a agência Efe, que cita fontes policiais, a operação conjunta decorreu esta terça-feira de madrugada.

Na localidade espanhola de San Martín de la Vega foi detida uma pessoa. Os restantes suspeitos foram presos em Fez, Casablanca, Nador, Alhucemas e Driouch.

O problema do terrorismo continua a assolar Espanha e, recentemente, o ministro do Interior espanhol, Jorge Fernández Díaz, assumiu que já tinham saído do país 126 jihadistas, com nacionalidade espanhola ou residentes em Espanha. O governante acrescentou que, destes, 25 tinham morrido na frente de batalha.

A operação antiterrorista foi coordenada pelo magistrado do juízo número 3 da Audiência Nacional espanhola e ainda não está concluída, escreve o jornal El Mundo.

Recentemente, a Espanha iniciou um programa especial de vigilância de 186 reclusos devido ao risco de recrutamento por redes ‘jihadistas’, já que as prisões - a seguir às redes sociais - são a segunda fonte de terroristas islâmicos.