Médicos do Hospital Clínico de Barcelona descobriram uma nova combinação de antibióticos que permite tratar 60% das pneumonias hospitalares com uma eficácia similar ao antibiótico padrão, mas sem os problemas de multiresistência das bactérias patogénicas.

Segundo a investigação, publicada na revista The Lancet Infectious Diseases, o novo antibiótico é formado por ceftazimida e avibactam e é eficaz para tratar as pneumonias hospitalares, entre as quais a pneumonia associada à ventilação mecânica.

De acordo com o diretor da Unidade de Vigilância Intensiva Respiratória da Clínica, Antoni Torres, que dirigiu o estudo, o novo antibiótico tem uma eficácia similar aos mais utilizados atualmente para tratar a infeção (carbapenemos), mas com a vantagem de superar os problemas, como a resistência de certas bactérias.

A pneumonia hospitalar é a segunda infeção nosocomial mais comum e a principal causa de morte por este tipo de infeções em doentes graves.

Apesar de existir tratamento para esta infeção, que tem uma mortalidade associada de 10%, são cada vez mais as bactérias resistentes aos antibióticos tradicionais.

Para realizarem este estudo, os investigadores levaram a cabo um ensaio clínico para demonstrar a equivalência do novo antibiótico (ceftazimida-avibactam) com o tratamento padrão (carbapenemos).

No ensaio clínico participaram 879 utentes de 136 centros de 23 países.

Segundo Antoni Torres, os resultados obtidos demonstram que esta combinação de antibióticos é tão efetiva como o carbapenemos e permite resolver os problemas de multiresistência em várias bactérias patogénicas, causadoras de pneumonias nosocomiais.