A presidente da província de León, Isabel Carrasco, foi assassinada a tiro na rua, esta segunda-feira, em frente à «Casa da Política Popular» desta cidade espanhola, avançaram fontes do Partido Popular e os serviços de Emergência à «Cadena Ser».

O suspeito dos disparos já foi detido e, segundo a agência EFE, trata-se de uma mulher, que disparou três tiros sobre a também líder do Partido Popular (PP) de León, partido no poder em Espanha.

A polícia deteve igualmente a filha da suspeita, que foi despedida do órgão provincial. As autoridades acreditam, por isso, em vingança.

Tratam-se da esposa e filha do inspetor-chefe da polícia de Astorga, uma cidade que fica a 50 quilómetros a oeste de León.

Isabel Carrasco foi atingida quando atravessava uma ponte pedonal. A governante, de 59 anos, estava à frente da administração regional de León desde julho de 2007.

O primeiro-ministro espanhol Mariano Rajoy cancelou os compromissos previstos para o dia.

Também por causa deste incidente, tanto populares como socialistas cancelaram as ações de campanha previstas para hoje e não afastam a possibilidade de fazer o mesmo na terça-feira.