O primeiro-ministro de Espanha garantiu que a Catalunha nunca será independente. O chefe do Governo espanhol assegura que uma declaração unilateral de independência, hipótese já admitida pelos independentistas, "viola a lei" e que isso será um "ataque frontal às normas de coabitação sem precedente nos países democráticos civilizados".

Mariano Rajoy diz ainda que o Governo não permitirá a independência da Catalunha e garante estar pronto para responder a qualquer problema.

Os apoiantes de uma separação da região catalã do resto de Espanha, uniram-se para apresentar uma lista às eleições regionais de setembro. Caso vençam, prometem a realização de um roteiro para a concretização da independência em 18 meses.

Muitos insistem na separação do território, alguns são rostos conhecidos do grande público e sem ligações políticas. Esta semana soube-se, por exemplo, que Guardiola será candidato a deputado na Catalunha. O atual treinador do Bayern de Munique e antigo treinado do FC Barcelona, não pretende abandonar o futebol, mas quer demonstrar apoio ao processo de independência desta região espanhola.