A organização separatista basca ETA anunciou a decisão de terminar o seu “ciclo histórico” e de dissolver “completamente todas as suas estruturas” numa carta publicada hoje num jornal espanhol.

Na missiva, enviada a instituições bascas e a grupos da sociedade civil e divulgada pelo jornal ‘online’ eldiario.es, a organização transmite a sua decisão de “dar por terminado o seu ciclo histórico e a sua função”.

A “ETA dissolveu completamente todas as suas estruturas e terminou a sua iniciativa política”, refere a carta datada de 16 de abril, citada na agência noticiosa espanhola EFE.

Fontes conhecedoras do processo tinham dito à EFE que a ETA iria anunciar a sua dissolução a 05 de maio, durante uma cerimónia marcada para Bayona, no País Basco francês.

No dia 20 de abril, num comunicado divulgado pelos jornais espanhóis Gara e Berria, a ETA reconheceu os "danos causados" e a "responsabilidade direta" no "sofrimento excessivo" da sociedade basca durante décadas, pelo qual pediu "sinceras desculpas".

A organização reconheceu ter "responsabilidade direta" no sofrimento de décadas da sociedade basca, com "mortos, feridos, torturados, sequestrados ou forçados a fugir para o exterior", algo que nunca devia ter "acontecido durante tanto tempo".

A ETA (Euskadi ta Askatasuna ou Pátria Basca e Liberdade) matou mais de 800 pessoas durante a sua campanha de cinco décadas para criar um Estado basco independente no norte de Espanha e no sul de França.

 

Carta da ETA