O regime comunista da Coreia do Norte considerou esta quarta-feira como «um abuso dos direitos humanos» a espionagem realizada pelo Governo norte-americano contra chefes de Estado, funcionários e milhões de outras pessoas em todo o mundo.

«Intervir em comunicações secretas como mensagens privadas para espiar é um dos piores abusos dos direitos humanos», indicou a agência estatal norte-coreana KCNA, num editorial que alegadamente é a primeira referência de Pyongyang ao escândalo de espionagem que tem afetado Washington.

Segundo a KCNA, a justificação dos Estados Unidos de que as escutas ilegais levadas a cabo pela Agência Nacional da Segurança (NSA) norte-americana têm como fim a luta contra o terrorismo internacional é um «pretexto».