Os talibã paquistaneses voltariam a atacar Malala Yousafzai, a jovem de 16 anos que foi alvo de um atentado no ano passado, alegadamente por defender a escolarização das meninas paquistanesas. Um porta-voz dos talibã, citado pela CNN esta segunda-feira, disse que a jovem ainda é um alvo a abater e garantiu que ela foi atingida, não por defender a escolarização das mulheres, mas por ser usada em propaganda contra o grupo fundamentalista islâmico.

O porta-voz vai mais longe e assegura que ela seria de novo atacada se houvesse hipótese, tal como atingiriam qualquer um que se opõem às ideologias do grupo.

Malala tinha 15 anos, quando homens armados invadiram o autocarro escolar em que seguia e a atingiram na cabeça. A jovem sobreviveu e foi submetida a uma delicada cirurgia no Reino Unido.