Foi durante a aula de quarta-feira na escola primária Oasis, no sul de Londres, que cerca de 30 crianças foram mandadas alinhar de acordo com a sua cor de pele.

Os pais tiveram conhecimento da situação através dos filhos e revoltaram-se contra a escola. Os responsáveis do estabelecimento de ensino defendem que o exercício serviu para ajudar os alunos a entender as diferentes características étnicas.

«Alguns pais disseram-me que algumas crianças gozaram com um rapaz por ele ser 'o mais escuro' e discutiram quem era mais escuro e o mais claro», contou uma das mães.

«Isto não devia acontecer nas escolas. Eu ficava muito chateada se fosse o meu filho. Penso que é altamente inapropriado. Os pais queixaram-se mas a escola não pediu desculpas pelo sucedido, tentaram apenas explicar a situação», acrescentou.

Outro pai questionou ainda «qual terá sido a utilidade educacional em alinhar as crianças de acordo com a sua cor de pele». «É ridículo e estou envergonhado por dizer que o meu filho frequenta aquela escola, estou muito contente por lhe faltar apenas um ano para sair», acrescentou.

De acordo com o «Daily Mail», a Comunidade Educativa Oasis explicou que o exercício serviu para preparar as crianças para o secundário, encorajando-os a falar sobre o «diversidade étnica».

«Inclusão é a nossa motivação, estamos comprometidos com a igualdade. Neste caso, juntámos os alunos para falarem entre eles de uma forma positiva, reconhecendo que somos todos iguais», explicou um porta-voz da instituição.