Erin O’Flaherty foi a modelo escolhida para representar o Estado do Missouri no concurso Miss América e tornou-se notícia não por ter vencido a competição, mas por ser a primeira candidata a assumir a sua homossexualidade antes da eleição.

A candidata de 23 anos - que acabou por perder a coroa para Savvy Shields do Estado do Arkansas - tornou-se também na primeira lésbica a ser eleita Miss do Missouri depois de revelar a sua homossexualidade.

Ciente do impacto que esta revelação teria, O’Flaherty afirmou, em declarações à Associated Press, que a causa social que quer defender – um dos pontos avaliados no concurso, para além da beleza e do talento – é a prevenção de suicídios entre os jovens LGBT.

Sabia que teria a oportunidade de fazer história. Agora serei mais visível para a comunidade e conhecerei mais pessoas".

Antes de Erin, algumas candidatas já tinham revelado ser homossexuais, mas apenas depois de conquistarem a coroa pelo seu Estado, como foi o caso de Djuan Trent, do Estado de Kentucky, que concorreu em 2011 e apenas tornou a sua homossexualidade pública após o concurso.

Criada numa quinta perto de St. Louis, no Missouri, Erin revelou aos pais que era lésbica quando tinha apenas 18 anos.