O suíço Eric Guilloud morreu sábado no Equador num acidente com o seu avião ultraleve no qual viajava, revelou a Direção Geral de Aviação Civil no seu portal da Internet.

Segundo a mesma entidade, a aeronave, um AEROSPOOL WT9 de matrícula E-JUKE, tinha como único ocupante Eric Guilloud e sofreu um acidente na província de Cotopaxi, centro do país, depois de ter descolado de Latacunga com destino a Tabacundo, já na província de Puchincha, cuja capital é Quito.

Eric Guilloud, 62 anos, integrava a indústria farmacêutica quando há quatro anos decidiu “romper com o stresse quotidiano e comprar o ultraleve que apelidava como o seu ‘bebé’, para dar uma volta ao mundo em 20 meses”.

A pequena aeronave tinha espaço para uma mala com bens essenciais básicos e um pequeno compartimento para guardar comida para um dia.

O piloto procurava cruzar os céus de 34 países num total de 76.000 quilómetros, 384 horas de voos e 106 aterragens, acrescentou o organismo de aviação civil ao salientar que o suíço já tinha visitado o Peru, Bolívia, Chile, Argentina e Brasil.