Um homem, infetado com o vírus HIV, que era pago para ter sexo com adolescentes, foi detido no Maláui por ordens do presidente do país, Peter Mutharika.

A detenção ocorreu na sequência de uma entrevista à BBC, em que Eric Aniva admitiu ter tido relações sexuais com mais de 100 jovens, sem ter contado aos pais que era portador de HIV.

Em causa está uma prática que se prolonga durante três dias e acontece em algumas regiões do Maláui, mediante a qual as famílias das meninas que chegam à puberdade pagam a um homem, conhecido por “hiena”, para ter relações sexuais com elas.

O ritual é visto como uma espécie de “purificação”, já que se acredita que, quem se recusar a cumpri-lo, vai sofrer alguma doença ou infortúnio fatal. Além disso, marca a passagem da infância para a vida adulta, servindo para treinar as raparigas para serem boas esposas.

Os hienas recebem entre três a cerca de seis euros por cada serviço.

Muitas das pessoas com quem me deitei são meninas em idade escolar. Algumas meninas têm 12 ou 13 anos, mas eu prefiro as mais velhas”, admitiu Aniva na entrevista, adiantando ainda que nunca usava proteção durante as relações sexuais.

O relato de Eric Aniva chamou a atenção das autoridades do país e o homem acabou agora por ser detido.

Aniva será investigado “por expor as jovens ao contacto com o HIV”, de acordo com o presidente do Maláui.

Peter Mutharika pediu ainda uma investigação ao papel dos pais envolvidos no ritual. Em comunicado, o porta-voz presidencial, Mgeme Kalilani, afirmou que “práticas culturais e tradições prejudiciais não podem ser aceites no país”.