As 12 crianças e o treinador de futebol presos há 11 dias numa gruta na Tailândia garantem estar saudáveis. Num vídeo divulgado esta quarta-feira, num momento em que se esperam chuvas fortes que podem complicar os planos de extração, as 12 crianças e o seu treinador são vistos sentados com as forças da marinha tailandesa na gruta escura, com seus rostos visivelmente magros iluminados pelo facho de uma lanterna.

As crianças, embrulhadas em mantas aquecidas, apresentam-se à vez, juntando as mãos numa saudação tradicional, dizendo os seus nomes e que se encontram saudáveis.

O vídeo, que tem uma duração de um minuto, foi gravado na terça-feira e foi publicado no Facebook da marinha tailandesa.

Os elementos do grupo, com idades entre os 11 e os 16 anos, e o seu treinador, de 25 anos, desapareceram depois de irem explorar a gruta de Tham Luang Nang Non, no norte de Chiang Rai, depois de um jogo de futebol a 23 de junho. As chuvas fortes que se fizeram sentir nesse dia inundaram parcialmente a gruta.

A equipa de futebol foi encontrada por mergulhadores numa operação de resgate no final da noite de segunda-feira, durante uma busca desesperada que atraiu a ajuda de especialistas de todo o mundo.

O comandante da equipa de resgate, o contra-almirante Arpakorn Yookongkaew, disse que não havia pressa em trazer o grupo para fora da gruta, já que eles estão seguros onde estão.

Um dos cenários de extração obrigaria as crianças e o treinador a mergulhar na gruta parcialmente inundada, o que, segundo especialistas em operações de resgate, pode ser extremamente perigoso.

Embora os esforços para bombear a água da gruta persistam, as autoridades tailandesas informaram que as chuvas fortes previstas para este fim de semana podem forçá-los a decidir que o grupo terá que nadar e mergulhar, seguindo a mesma rota complicada pela qual a equipa de resgate entrou.