Os especialistas identificaram uma possível fonte do surto do Ébola. De acordo com os cientistas, a epidemia poderá ter começado com os morcegos que se alimentavam de insetos que viviam numa árvore oca na aldeia remota na Guiné-Conacri.

Mais de 20.000 casos de Ébola, com pelo menos 7.800 mortes, foram registados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) desde a morte de um rapaz de dois anos, na aldeia de Meliandou, em dezembro do ano passado.

Em declarações ao jornal EMBO Molecular Medicine, a equipa de cientistas liderada por Fabian Leendertz, do Instituto Robert Koch, em Berlim, investigou as circunstâncias relacionadas com a morte da criança.

A notícia surge um depois de o vírus ter sido diagnosticado num profissional de saúde em Glasgow, na Escócia. Esta terça-feira, um segundo profissional de saúde também foi submetido a testes de diagnóstico devido a suspeitas de infeção.